Produtos campeões de impostos

Cachaça, perfume e videogame estão entre eles

O Brasil tem uma das taxas de impostos mais caras do mundo. De acordo com o IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário), mais de 36% do total produzido no país são pagos em tributos. Entretanto, há casos em que os impostos chegam a representar mais de 80% do preço do produto.

Um levantamento do IBPT listou os itens mais tributados no País e o peso dos impostos, taxas e contribuições em cada um deles. O ranking leva em consideração mais de 500 itens monitorados pelo instituto.

O IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) responde pela maior parte da “mordida” do Leão, chegando a representar, em alguns casos, mais de 40% dos preços. A cachaça lidera a lista dos campeões de impostos, com um percentual de 81,87%. Na sequência, está o casaco de pele (81,86%), a vodca (81,52%), o cigarro (80,42%) e o perfume importado (78,43%). Completam o top 10: a caipirinha (76,66%), o console Playstation (72,18%), arma de fogo (71,58%), os jogos de videogame (71,18%) e os produtos de maquiagem (69,04%).

A explicação para essas taxas é que são produtos considerados desnecessários para a maioria da população, por serem supérfluos, como o casaco de peles, perfume importado e mesa de bilhar, ou prejudiciais, como a cachaça e o cigarro.